Se deseja dar a sua opinião sobre Luis Cília e a sua obra envie um mail

(leonardo.verde@gmail.com)

 

   excerto da canção: 

4b – Quão doce

 

 

 

 

Quão doce é a um firme namorado
um fingindo fugir da doce dama,
um dizer que não quer ir para a cama,
um não sejais, senhor, tão malcriado.

um ai que nos ouviram! que é pecado!
um ai que minha Mãe ouviu a chama!
um ai de mim, que perco honra e fama!
um não sejais, senhor, tão porfiado!

Quão doce é um suar a curvar coxas!
um dar lugar a tudo, de cansada;
um lembrai-vos, senhor, qual me deixais!

um encobrir, chorosa, as nódoas roxas;
um despedir-se, em lágrimas banhada;
contemple-o quem chegar a tempos tais!
 

 

 

Caixa de texto: "Marginal"

 

Caixa de texto: Poesia de
D. Tomás de Noronha (séc. XVII)

Caixa de texto: luis cilia
 

Canções neste disco:

 

       <Anterior  Seguinte>

 

 

página inicial