Se deseja dar a sua opinião sobre Luis Cília e a sua obra envie um mail

(leonardo.verde@gmail.com)

 

esta faixa foi reeditada no cd colectânea

2b Venham leis

 

Venham leis e homens de balanças,
Mandamentos daquém e dlém mundo.
Venham ordens, decretos e vinganças,
Desça em nós o juiz até ao fundo.


Nos cruzamentos todos da cidade
A luz vermelha brilha inquisidora,
Risquem no chão os dentes da vaidade
E mandem que os lavemos a vassoura.


A quantas mãos existam peçam dedos
Para sujar nas fichas dos arquivos
Não respeitem mistérios nem segredos
Que é natural nos homens serem esquivos.


Ponham livros do ponto em toda a parte,
Relógios a marcar a hora exacta.
Não aceitem nem queiram outra arte
Que a prosa do registo, o verso-acta.


Mas quando nos julgarem bem seguros,
Cercados de bastões e fortalezas,
Hão-de ruir em estrondo os altos muros
E chegará o dia das surpresas.



 

 

   excerto da canção: 
 

Caixa de texto: "La poésie portugaise de nos jours et de toujours – 3"

 

Caixa de texto: Poesia de
José Saramago

Caixa de texto: luis cilia
 

Canções neste disco:

 

        <Anterior  -  Seguinte>

 

 

página inicial