Se deseja dar a sua opinião sobre Luis Cília e a sua obra envie um mail

(leonardo.verde@gmail.com)

 

   excerto da canção: 

5b – Hino do Sacanavenense

 

 

 

 

Cantemos a plenos pulmões
A nossa glória imortal
Que perder, nem a feijões
Somos a honra nacional.


Por cada derrota sofrida
Tenhamos sempre na mente
Que a nossa equipa querida
Ganha sempre moralmente.


Nunca veremos no chão
A nossa honra humilhada
Ergamos bem alto o brazão
Da nossa bandeira adorada.


Que sejas Carvalho ou Fonseca
Almeida, Zagalo ou Trindade
Vê que a vida é uma seca
Junta-te a malta da humidade


Somos aquela montanha
Que um rato pariu um dia
Não usamos de artimanha
Nem qualquer demagogia.


Seremos sempre os primeiros
Porque a nós ninguém nos vence
Somos puros, verdadeiros
E VIVÓ SACANAVENENSE!


Lutamos com grande valor
E o nosso ardor não consente
O que diz o pensador:
«Um passo atrás dois  frente»


P'rá frente é que é Lisboa
Vamos a eles, mais nada,
A vitória é sempre boa
Nem que seja a bordoada.


E p'ra mostrarmos coragem
Quando o triunfo não é nosso
Da equipa de arbitragem
Não se safa nem um osso.


Somos os melhores marchistas
A nossa marcha é a mais linda
Até a cantam sacristas
P'la sua beleza infinda


Nunca seremos vencidos
Estamos de acordo em tudo
Somos sempre muito unidos
Desde o são ao surdo-mudo.


Somos um só coração
Entre nós não há segredos
Unidos como os dedos da mão
Mesmo se a mão não tem dedos.
 

 

 

Caixa de texto: "Contradições"

 

Caixa de texto: Poesia de
Luís Cília

Caixa de texto: luis cilia
 

Canções neste disco:

 

      <Anterior - Seguinte>

 

 

página inicial