Se deseja dar a sua opinião sobre Luis Cília e a sua obra envie um mail

(leonardo.verde@gmail.com)

 

   excerto da canção: 

4a Ofensa à lagosta

 

 

 

 

A verdade as vezes custa
Mas alguém tem de dizê-la,
E ela hoje só assusta
Quem a quer presa na trela.

Tempos estranhos vivemos,
Que nos sirvam de lição.
E só então poderemos
Pisar bem firmes o chão.

Aqui fica a introdução
Com todos os requisitos,
Só quero com esta canção
Que acabes com certos mitos.

Eu fiz a comparação
E a lagosta com a sua graça,
Tem alguns pontos de união,
Com gente da nossa praça.

Pr'ó mais comum dos mortais
A semelhança maior
Que ostentam os dois animais
É o vermelho do exterior.

Mas não vai parar aqui
Esta análise tão segura,
Olhando bem eu logo vi
Terem ambos casca dura.

Ainda há outra qualidade
Que eu deixo aqui expressa
Unidos pr'a eternidade
Por terem merda na cabeça.

E se tal comparação
Ofende e mesmo desgosta,
Se a um devo pedir perdão
Que me perdoe a lagosta.

 

Caixa de texto: "Marginal"

 

Caixa de texto: Poesia de
Luis Cilia

Caixa de texto: luis cilia
 

Canções neste disco:

 

       <Anterior Seguinte>

 

 

página inicial