Se deseja dar a sua opinião sobre Luis Cília e a sua obra envie um mail

(leonardo.verde@gmail.com)

 

Canções neste disco:

 

        <Anterior  Seguinte>

 

 

página inicial

   excerto da canção: 

inédita 1 Canção do soldado no Cerco do Porto

 

 Sete balas só na mão
Já começa amanhecer.
Sete flores de limão
Pra lutar até morrer.

Já estremece a tirania
Já o sol amanheceu.
Mil olhos tem o dragão
Há chamas d'oiro no céu.

Cresçam monstros e canhões

Contra este mar de vontades

A força bruta não pode

Vencer o sol das verdades


Abriu-me o peito o luar
Companheiros acercai-vos.
Arde em nós a luz do dia
Companheiros revezai-vos.
 


Já o rouxinol cantou
Tomai o nosso estandarte.
No seu sangue misturado
Já não há desigualdade.
 

 

Cresçam monstros e canhões

Contra este mar de vontades

A força bruta não pode

Vencer o sol das verdades

 

 

Caixa de texto: "La poésie portugaise de nos jours et de toujours – 2" 
 Edição espanhola de 1973

 

Caixa de texto: Poesia de
Urbano Tavares Rodrigues

Caixa de texto: luis cilia
 

*