Se deseja dar a sua opinião sobre Luis Cília e a sua obra envie um mail

(leonardo.verde@gmail.com)

 

6a Pátria

 

Não pronuncio nomes detestáveis

E dou com eles às vezes nos jornais;

E nem sequer lhes chamo miseráveis

E foram-no demais.

 

Morrem em prisão os rouxinóis

De tristes, como tristes violetas,

- Pátria - os últimos heróis,

os que morrem por ti, os teus poetas.

 

ninguém mais poderoso andou no mundo

ao que tenho sofrido e vi sofrer;

nem um instante pleno nesta vida,

mais para morrer que de viver.


 

 

 

Caixa de texto: "La poésie portugaise de nos jours et de toujours – 2"

 

Caixa de texto: Poesia de
Afonso Duarte

Caixa de texto: luis cilia
 

Canções neste disco:

 

        <Anterior  -  Seguinte>

 

 

página inicial

 

   excerto da canção: